Bipolaridade /


A bipolaridade ou transtorno bipolar do humor, no passado denominado de psicose maníaco-depressiva, é caracterizada por alternâncias de humor que vão desde oscilações normais, como nos estados de alegria e tristeza, até mudanças patológicas acentuadas e diferentes do normal, como episódios de mania, hipomania, depressão e mistos.

É uma doença de grande impacto na vida de uma pessoa, de sua família e sociedade, causando prejuízos freqüentemente irreparáveis em vários setores da vida, como nas finanças, saúde, reputação, além do sofrimento psicológico.

Alegrias e tristezas são estados experimentados por qualquer pessoa e não constituem um distúrbio, mas as mudanças de humor do distúrbio bipolar são mais extremas e duradouras que aquelas experimentadas e causam prejuízos significativos para si mesmo e para outros.

Na fase da mania a pessoa apresenta modificações na forma de pensar, agir e sentir e vive assumindo comportamentos extravagantes de euphoria, enquanto que na fase da depressão há uma intensa baixa vibratória e a pessoa se reduz em profunda tristeza.

Existem três outras formas através das quais a doença bipolar do humor pode se manifestar, além de episódios bem definidos de mania e depressão. Uma primeira forma seria a hipomania, em que também ocorre estado de humor elevado e expansivo, eufórico, mas de forma mais suave. Um episódio hipomaníaco, ao contrário da mania, não é suficientemente grave para causar prejuízo no trabalho ou nas relações sociais, nem para exigir a hospitalização da pessoa.

Uma segunda forma de apresentação da doença bipolar do humor seria a ocorrência de episódios mistos, quando em um mesmo dia haveria a alternância entre depressão e mania. Em poucas horas a pessoa pode chorar, ficar triste, sentindo-se sem valor e sem esperança, e no momento seguinte estar eufórica, sentindo-se capaz de tudo, ou irritada, falante e agressiva.

A terceira forma da doença bipolar do humor seria aquela conhecida como transtorno ciclotímico, ou apenas ciclotimia, em que haveria uma alteração crônica e flutuante do humor, marcada por numerosos períodos com sintomas maníacos e numerosos períodos com sintomas depressivos, que se alternariam. Tais sintomas depressivos e maníacos não seriam suficientemente graves nem ocorreriam em quantidade suficiente para se ter certeza de se tratar de depressão e de mania, respectivamente. Seria, portanto, facilmente confundida com o jeito de ser da pessoa, marcada por instabilidade do humor.