T.O.C. /


O transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) é um transtorno de ansiedade caracterizado por pensamentos obsessivos e compulsivos no qual o indivíduo tem comportamentos considerados estranhos para a sociedade ou para a própria pessoa; normalmente trata-se de ideias exageradas e irracionais de saúde, higiene, organização, simetria, perfeição ou manias e "rituais" que são dificilmente controláveis. O indivíduo com TOC apresenta ideia e comportamentos repetitivos que ele reconhece como irracionais, porém não consegue evitá-los. O transtorno obsessivo-compulsivo é portanto um transtorno de ansiedade em que as pessoas apresentam pensamentos, sentimentos, ideias, sensações (obsessões) ou comportamentos repetidos e indesejados que fazem elas se sentirem forçadas a fazer alguma coisa (compulsões).

Entende-se por obsessão pensamentos, ideias e imagens que invadem a mente da pessoa independentemente da sua vontade. Essas ideias e pensamentos ficam patinando dentro da cabeça e o único jeito para livrar-se deles por algum tempo é realizar os rituais da compulsão que ajudam a aliviar a ansiedade. Causam incômodo, desconforto ou sofrimento para a pessoa, que embora perceba o seu caráter irracional, dificilmente tem sucesso em conseguir afastá-las. Compulsões são como comportamentos e/ou atos mentais repetitivos que o indivíduo é levado a executar voluntariamente para reduzir a ansiedade ou mal-estar causado pela obsessão ou para prevenir algum evento temido. O indivíduo também reconhece o caráter irracional do comportamento, apesar de dificilmente conseguir evitar sua ocorrência.

Em geral os rituais se desenvolvem nas áreas da limpeza e higiene, checagem ou conferência, contagem, organização, simetria, colecionismo, e podem variar ao longo da evolução da doença.Preocupar-se excessivamente com sujeira, lavar as mãos a todo o momento, evitar o uso de banheiros públicos, revisar repetidas vezes a porta, o fogão ou o gás antes de sair de casa ou ao deitar, necessidade exagerada de arrumar as coisas, ter medo de passar perto de cemitérios, funerárias ou de usar certas cores de roupa com medo de que possa acontecer algo de muito ruim, ser atormentado por dúvidas intermináveis ou por pensamentos "horríveis" são alguns dos inúmeros sintomas do TOC.

Conhecidas popularmente como "manias" essas manifestações atormentam milhões de pessoas em todo mundo. Muitas vezes são leves e quase imperceptíveis, mas não raro, são extremamente graves, podendo incapacitar a pessoa para o trabalho e impedí-la de relacionar-se socialmente. Em geral elas são acompanhadas de ansiedade, medo e culpa, causam muito sofrimento, tomam tempo da pessoa e interferem nas rotinas pessoais, na vida social e da família. Muitas vezes não são reconhecidas como sintomas de uma doença o que faz com que as pessoas afetadas não busquem tratamento ou demorem muito para fazê-lo.

Frequentemente as pessoas acometidas por este transtorno escondem de amigos e familiares essas ideias e comportamentos, tanto por vergonha quanto por terem noção do absurdo das exigências autoimpostas. Muitas vezes desconhecem que esses problemas fazem parte de um quadro psicológico tratável e cada vez mais responsivo a terapias.. As obsessões tendem a aumentar a ansiedadeda pessoa ao passo que a execução de compulsões a reduz. Porém, se uma pessoa resiste a realização de uma compulsão ou é impedida de fazê-la surge intensa ansiedade. A pessoa pode perceber que a obsessão é irracional e reconhecê-la como um produto de sua mente, experimentando tanto a obsessão quanto a compulsão como algo fora de seu controle e desejo, o que causa muito sofrimento. Pode ser um problema incapacitante porque as obsessões podem consumir tempo (muitas horas do dia) e interferirem significativamente na rotina normal do indivíduo, no seu trabalho, em atividades sociais ou relacionamentos com amigos e familiares.

Os temas das obsessões relatados pelos pacientes são variados, já que estas podem ser criadas a partir de qualquer substrato que possa aparecer na mente, sejam palavras, imagens, cenas, sons, preocupações e medos. Dessa forma, não existem limites para a variedade possível do conteúdo das obsessões.[4] Apesar disso, alguns temas são considerados como mais frequentes, tais como: obsessões com temas de contaminação, de agressão, pensamentos religiosos, sexuais, obsessões com simetria e com colecionismo[24] As compulsões também podem variar bastante. Entre as mais frequentes, podemos citar: rituais de limpeza, de verificação, de repetição, de contagem, colecionismo e ordenação, e arranjo.[25] Alguns exemplos de compulsões que muitas vezes são difíceis de serem identificadas são os rituais mentais e os comportamentos de evitação. Rituais mentais são atos mentais, ou rituais que se fazem internamente, "na cabeça", tais como rezar ou pensar um pensamento bom para anular um pensamento ruim. Comportamentos de evitação são realizados pelo paciente com o objetivo de não entrar em contato com o objeto ou situação temida. Por exemplo, o indivíduo evita tocar em lugares que considera sujos, ou evita olhar para lugares que possam desencadear obsessões.

De um modo geral as doenças, síndromes, transtornos, desequilíbrios e distorções de fundo neuropsicocomportamentais tem origem nas marcas vivenciais registradas durante a história de vida da pessoa e esses arquivos armazenados nos sistemas oscilantes multidimensionais – física, emocional, mental e espiritual – se expressam durante a vida da pessoa. Para extirpar essas formas de manifestação existencial e provocar uma harmonização, equilíbrio e cura nós do Instituto Phisiom hipnoticamente fazemos o paciente regredir na linha do tempo percorrendo a história da sua vida para encontrar a origem das marcas comportamentais e então mudar o significado dos arquivos do problema adquirido. Para essa regressão utilizamos a Reprogramação Neurodimensional (RND) e várias técnicas complementares para dar ao paciente um crescimento interior com melhoria da qualidade de vida e um caminho de felicidade em direção as metas e sonhos ansiados.

A Reprogramação Neurodimensional é uma técnica que fornece aos circuitos neuromentais de uma pessoa novos programas comportamentais que serão deflagrados durante a vida para que o indivíduo atinja seus objetivos, metas e sonhos. Para isso, utilizamos a hipnose para o paciente regredir na linha do tempo percorrendo a história da sua vida buscando encontrar a origem das marcas comportamentais que deram origem aos traumas, ansiedades, síndromes, transtornos, distorções e medos e então mudar o significado dos fatos, registros e arquivos dos problemas adquiridos. Para essa regressão, além da RND, utilizamos várias técnicas complementares para o equilíbrio e a harmonia da paciente.